CULTIVO IN VITRO 

 



Tipos de fecundação

 

Self - Quando a flor é fecundada pelos próprios polínios.

 

Sibling – Quando uma flor é fecundada pelos polínios de plantas irmãs

 

Híbrido – Quando a flor é fecundada pelos polínios de outras plantas de espécies diferentes.  Deve-se pesquisar os gêneros e ou espécies compatíveis, pois vários cruzamentos são incompatíveis e não germinam.

 

Tempo de amadurecimento de cápsulas de sementes para alguns
gêneros
Clique aqui

         Pode-se coletar a cápsula após 3/4 ou 4/5 desse prazo, pois com esse tempo, as              mesmas já estão maduras. 

         É recomendável guardar as sementes num frasco fechado, junto com sílica gel para          absorver umidade, na  geladeira, entre 5º e 8ºC. 

         Usa-se papel permeável (nunca folha plástica) para embrulhar as sementes.


Material necessário:

 

1 microscópio (como curiosidade, mas não é necessário), 1 balança de precisão de 2 pratos, com capacidade para pesar pequenas quantidades (divisões de 0,01 gr (recomendável)), 1 caixa de vidro (tipo aquário), pinças,  1 tubo de ensaio, vidros médios tipo (maionese,azeitona ou palmito), com tampas com boa vedação,  mel e ou dextrosol, algodão não-hidrófilo (de algodoeiro de preferência, 1 liquidificador, 1 vidro pequeno com tampa de conta-gotas, ! par de luvas cirúrgicas, 1 seringa de injeção de 10 ml com agulha 30/8, 1 panela de pressão que seja alta, 1 rolo de filme de pvc (plástico transparente), cloro de piscina, carvão ativado,1 pirex pequeno e 1 espátula de cabo longo

 

Sementes

 

A cápsula deve estar, de preferência, madura mas não aberta.  As sementes podem ser guardadas por no máximo 6  meses, em envelopes de papel e em lugar seco.  Para saber se elas estão em condições de germinar, pode-se observá-las em um microscópio. Um grande número de sementes encorpadas e com o centro preto, indicam que estão em condições de germinação. As sementes desidratadas ou transparentes não irão germinar.

 

Para separar as sementes, férteis das inférteis, isto quando forem sementes soltas (fora da cápsula), coloque com cuidado, as sementes em um tubo de ensaio, coloque água da torneira, até quase encher o vidro.  Agite bem e deixe descansar.  Repita a operação mais duas ou três vezes.

As sementes boas irão se depositar no fundo e as inférteis irão ficar suspensas na água, com cuidado vá derramando essa água até derramar a maioria dessas sementes inférteis.

Repita a operação, se houver poucas sementes ruins, não há problema.

Coe em filtro de papel, pode ser do tipo Melita e deixe secar, de preferência á sombra, guarde as sementes para uso posterior.

 

MEDIDAS DOS COMPONENTES PARA 1 LITRO DE PREPARADO PARA CULTURA

 

Várias fórmulas podem ser usadas:

 

Para semear

 

1 tomate maduro sem pele.

1 L de água de torneira, destilada é melhor.

1 colher de sopa de açúcar comum, (podendo ser substituído por 20 gr de dextrosol, mel... etc).

13 ½ gr de agar agar (farmácia de manipulação)

Adubos 30-10-10 ou 20-10-10  (adubos carregados em Nitrogênio)

 

A fórmula de Juvenal Meyer é uma das que podem ser usadas:

 

500 ml de água de preferência filtrada ou destilada

500 ml (ou gramas) de suco de tomate (bater no liquidificador 1 tomate grande e maduro sem pele e sem sementes)

20 gr de açúcar, mel, glicose ou dextrosol

14 gr de agar agar em pó

2 gr de carvão ativado em pó (farmácia de manipulação)

1 gr de adubo de boa qualidade na formulação 30-10-10

 

Para repique

 

150 gr de banana ou 1 ½ banana sem casca. (nanica, da terra... etc.).

1 tomate grande maduro sem pele e sem sementes (opcional)

1 L de água de torneira ou destilada.

20 gr de açúcar comum

13 ½ gr de agar agar

1 gr de adubo 30-10-10 ou 20-10-10

 

Os adubos acima pode ser substituído por:

 

1 gr de nitrato de cálcio.

½ gr de sulfato de amônia

0,25 gr de fosfato de potássio monobásico

0,25 gr de sulfato de magnésio hidratado

 

Pegue vidros de 500 gr ou 1Kgr, com as tampas perfuradas em seu centro, furos de 3 mm, lave bem as tampas e vidros com água e detergente.

Coloque no furo da tampa, um pouco do algodão, bem apertado, de forma que fique bem firme, de modo a não permitir a entrada de poeira mas permitir a oxigenação
Obs: podem ser usadas tampas de nome BIO SAMA PP74 da Samavidros, que já são apropriadas para cultivo in vitro http://www.samavidros.com.br

Dissolva os adubos em ordem e com pouca água pois em todoo processo será usadoapenas 1 Litro de água

 

Coloque no liquidificador, todos os produtos na ordem especificada e bata todos sem o agar por último acrescente o agar e bata novamente.

Retire a espuma que se forma na superfície, despeje a mistura em uma panela velha e leve ao fogo brando, mexendo de vez em quando deixe ferver bem.

Coloque nos vidros lavados mais ou menos 1 cm, desse preparado e tampe-os muito bem.

Acomode-os na panela de pressão. E coloque um pouco de água (banho-maria), coloque a tampa da panela.

Ao realizar este processo, aproveite para esterelizar água, para ser utilizada no restante do processo.

 

O fogo deve ser o mais baixo que o fogão suportar.

Quando a panela começar a chiar, conte 15 minutos. Deixe esfriar totalmente sem abrir a tampa da panela.

                                                                       

Enquanto aguarda esfriar:

Pegue um vidro com tampa e conta gotas.

Prepare em um recipiente , 50 ml de água.

                            ½ colher de chá de Hipocloreto de Sódio.

  Dilua bem.

  Coloque 1 cm da solução, no vidro, coloque também as sementes já secas.

  Agite o vidro algumas vezes, no intervalo de 5 minutos.

  Este processo é para esterilizar as sementes

 

 Com a seringa descartável e a agulha, retire todo o líquido e jogue fora, as sementes não passarão       atravéz da agulha.

 Acrescente a água esterilizada (mais ou menos 1 cm) e deixe em reserva

 

 PROCESSO CUIDADOSO

 Com os vidros em temperatura ambiente, recolha com um conta gotas esterilizado, um pouquinho da  água com as sementes isto dentro da redoma de vidro.

 Ao abrir o vidro com o produto, tome cuidado para não demorar muito, e não abrir  a tampa  completamente.

 O processo deve ser rápido e preciso.

Tampe-o imediatamente e agite-o em movimento suave e circular, para espalhar as sementes na superfície do meio de cultura.

Vede a tampa com filme de pvc ou polietileno.

Coloque-os em lugar claro e arejado

Nesse vidro, levarão entre 30 e 40 dias para germinar e ficarão mais ou menos, dependendo da espécie, por mais 8 a 18 meses dependendo da espécie.

Quando começarem a apontar, umas raízes vigorosas, é a época ideal para o repique.

 

Após utilizar o conta gotas, lave-o com água corrente, encha-o com álcool e deixe-o dessa forma, até o próximo trabalho.

 

Prepare o produto de banana

 

O processo desse produto, é igual ao anterior.

Ao lavarem os vidros em banho-maria, na panela de pressão, coloque sempre um vidro com água para ser esterilizada.

Embrulhe em Papel alumínio:  1 espátula de cabo longo.

                                             1 pinça de cabo longo.

                                             1 vasilhame marinex ou pirex pequeno.

                                             Todos separadamente.

                                             Coloque todos na panela para esterilizar deixe esfriar com a panela com a tampa fechada.

 

REDOMA DE VIDRO

 

A redoma deve ser feita com as medidas e no formato abaixo:


Esterilize a redoma com água sanitária de boa qualidade.  Vede bem e deixe em repouso por 15 minutos.

Acomode os vidros secos, dentro da redoma, e todos os objetos a serem utilizados, mas sem retirar o invólucro.

 

Introduza as mãos vestindo as luvas cirúrgicas novas, pela fenda, e vá retirando os invólucros dentro da redoma.

Cuide para que os objetos não toquem na superfície da redoma, ou de qualquer outo objeto.

No caso de se reutilizar as luvas, desinfecte-as com água sanitária ou álcool iodado ou ainda, com o produto usado pelos veterinários e dentistas (VIRKON-S).

 

Coloque a água esterilizada no pirex, e lave as mudinhas com a ajuda da pinça e da espátula.

Separe cuidadosamente as mudinhas uma a uma, observando o tamanho procurando deixar as de + ou – o mesmo tamanho dento do mesmo vidro, para que tenham crescimento mais homogêneo.

Faça o replante usando a pinça e com muito cuidado pois nessa fase, as plantinhas ainda são muito frágeis.

Acomode-as de forma que o vidro não fique muito congestionado, colocando no máximo 25 plantas por vidro mas fica a critério de cada um.

Tampe bem o vidro e coloque-o em local arejado e claro.

 

Assim que as mudas atingirem a altura do vidro ou for notado que a água existente no no meio de cultura , acabe, é sinal que está na hora de fazer o transplante para vasos coletivos ou até mesmo para copinhos de café individual dependendo do tamanho dessa muda .

 

 

 

 

 

 

            Vidros SAMAVIDROS

 

 

 

 

Os copinhos de café devem ser furados na base, colocar pedrisco no fundo .

Há casos em que se tenha de realizar mais um repique. (olho clínico do orquidófilo).

O substrato utilizado nesses casos é o esfagno.

Verifique sempre a umidade.

Após 2 meses, deverá ser feita a primeira adubação, adubação química bem fraquinha, diluída em água

 

Quando forem plantadas em vasos individuais, as plantas já poderão ser tratadas como plantas normais.  Ou seja já podemos coloca-las juntamente com as demais plantas


Curso Ministrado por: Eduardo Nogueira Graça

Artigos de:                 Ilma Lima e
                                 Mioko Sato Monma
Compilação:               Bernardino Mendes Damião

Bibliografia:
Curso de Introdução ao Estudo e Cultivo de Orquídeas da Sociedade Brasileira de Orquidófilos - Autor: Joaquim Gonzalez de Lema Filho edição de 1983.
Waldemar Silva - Cultivo de Orquídeas no Brasil - 5ª edição - 1979 - Livraria Nobel
Hoehene - Iconografia de Orchidaceas do Brasil - 1949 - impresso por: S. A. INDÚSTRIAS "GRAPHICARS-F. LANZARA" 

 


 


Todos os direitos reservados - Damião ® - 1999/2002

Capela de fluxo laminar                           Galeria de Fotos